top of page
  • Digte News

Estratégias infalíveis para o seu RH

Nenhum empresário ou gestor de RH (Recursos Humanos) pode ignorar como é importante haver um alinhamento entre a liderança, os colaboradores e os princípios da empresa. Porém, poucos sabem como melhorar essa dinâmica na prática.

De fato, muita gente chega a ignorar que o RH é, em si mesmo, a soma de todos os funcionários. Isso mesmo, todas as pessoas que trabalham em uma firma, da recepção até a diretoria, compõem os Recursos Humanos da corporação.


Agora, se uma empresa de serviços de contabilidade quer se referir à parte administrativa dos seus talentos e material humano, então o que ela faz é a gestão do RH. Essa simples distinção já serve para dar alguns insights sobre o assunto que vamos tratar.


Só faz sentido falar de estratégias infalíveis para o seu RH dentro desse contexto de gestão ou administração dele, que é de onde surge o setor de RH. A verdade é que se esse esforço não for bem assentado, todos os demais setores ficarão a desejar.

Nesse sentido, o departamento dos Recursos Humanos é o grande responsável por fazer a ponte entre a filosofia da marca (os famosos pilares de Missão, Visão e Valores), a liderança e cada um dos demais departamentos, setores ou áreas.


Isso é assim independentemente do tipo de ação que é empreendida. Por exemplo, uma fábrica de relógio de ponto cartográfico, certamente, terá uma rotina fabril agitada, com esteiras industriais e muito trabalho braçal ou maquinal.


Ainda assim, nem por isso ela pode prescindir de valores que norteiam o aspecto mais pragmático da produção. É justamente aí que está o segredo de uma corporação forte e diferenciada, bem como o sucesso da gestão de RH.


Por isso decidimos escrever este artigo, trazendo aqui os conceitos que são indispensáveis para um melhor domínio do assunto, além das boas práticas que podem nortear um gestor ou líder qualquer a dominar as funções do setor de Recursos Humanos.


O mais interessante é justamente esse aspecto que mencionamos acima: o fato de que toda e qualquer empresa ou área da empresa precisa disso, seja uma firma que presta serviço como contabilidade para ONG ou uma loja que vende roupas e calçados.

Tanto faz, toda corporação precisa desse domínio como modo de gerir seu material humano, que é a base de tudo. Então, se você quer entender como isso pode tornar sua empresa muito mais forte e promissora, basta seguir adiante na leitura.


O que é o setor de RH?


Como vimos, todo material humano de uma empresa compõe seus Recursos Humanos, porém há um departamento que acaba levando esse nome.


Por conta disso, surgem funções muito específicas que precisam ser melhor compreendidas e levadas à prática pelos responsáveis diretos e indiretos.

Esse setor só ganhou seus traços principais após o fim da Revolução Industrial, porque antes dela a relação entre empregado e empregador era bastante subjetiva, dependendo quase que inteiramente das arbitrariedades do patrão.


A consolidação das leis trabalhistas definiu desde questões mais técnicas como o uso obrigatório de óculos de proteção com grau para profissionais que se arriscam, até detalhes como carga horária máxima de trabalho.


Com isso, o RH passou a atuar como um departamento dentro da própria empresa que atua em prol dos colaboradores, até para garantir que a corporação não cometa infrações e acabe se prejudicando em relação a multas e afins.

Hoje suas ações podem incluir as seguintes frentes ou esforços:

  • Recrutamento;

  • Seleção;

  • Treinamentos;

  • Benefícios;

  • Motivação;

  • Remuneração;

  • Palestras.

Enfim, cada vez mais o setor de RH se torna a alma da empresa, no sentido de ser o guardião da filosofia da marca, como modo de resguardar os pilares que já citamos acima, da Missão, da Visão e dos Valores.


Uma vez assimilado isso, podemos aprofundar algumas estratégias realmente infalíveis para garantir que esse esforço seja cumprido de modo pleno, com a participação de todos e o comprometimento geral.


A cultura organizacional


Depois de entender a importância e as funções básicas do RH, é hora de dar um passo que todo gestor já ouviu falar, mas poucos levam realmente a sério ou sabem exatamente como fazer.


Trata-se da cultura organizacional, que deve ser colocada na prática mais ou menos como um decálogo, ou seja, os 10 mandamentos de todo funcionário, com a diferença de que pode ter qualquer número que você quiser, desde que funcione.


Imagine uma empresa que trabalha com monitoramento de alarme. Ela pode simplesmente vender o serviço de instalação de um equipamento tecnológico como qualquer outro, ou então anunciar o valor da segurança que acompanha esse dispositivo.


Afinal, uma pessoa só instala monitoramento por alarme quando quer defender algo valioso, não é mesmo? Seja um banco, uma empresa com bens de alto valor agregado ou uma casa residencial, em todo caso é preciso vender o valor da segurança.

Assim, ao passar uma filosofia de que para ter tranquilidade as pessoas precisam proteger aquilo que têm de mais valioso, a marca vai conseguir uma atuação mais embasada.


Ao mesmo tempo, será papel do RH transmitir os valores práticos que cada funcionário vai precisar cumprir para que esses princípios saiam do papel. São eles: idoneidade, transparência com o cliente, excelência na comunicação, e daí em diante.


O recrutamento é delicado


Tratar o recrutamento como uma atividade qualquer é um dos maiores erros que um setor de RH e uma empresa podem cometer de modo geral. O maior problema não é apenas fazer contratações de mais ou de menos, mas também escolher os perfis errados.


Lembrando que nem sempre é uma questão de caráter, pois mesmo uma boa pessoa pode não ser a mais indicada para determinado cargo, ou mesmo para o momento que a empresa vive.


Assim, uma estratégia infalível para melhorar o RH é cruzar esse setor com o líder dos demais departamentos, fazendo um trabalho a quatro mãos, que garante um profissional completo, filtrado por todos os critérios possíveis.


Invista nos funcionários


Todo mundo sonha em contratar um funcionário completo, que já chega ao seu cargo dominando todos os conhecimentos técnicos e subjetivos necessários.

Mas claro, muitas vezes isso não passa de um sonho. Se a empresa trabalha com motoboys em São Paulo, o melhor condutor de motos pode não ser o que melhor se comunica, e vice-versa.


Então, o mais indicado é investir constantemente em atividades de capacitação. Isso pode ir desde programas internos de treinamento, quando houver mão de obra para isso, até convidar profissionais como coachings e afins.


Com isso, o setor de RH e a própria empresa sinalizam que sua preocupação vai muito além de apenas querer resultados, mas também pensa no funcionário.


Plano de carreira sincero


Outro modo de mostrar que sua empresa se preocupa com o funcionário é oferecendo um Plano de Carreira sincero e que faça sentido para os dois lados.


Não adianta prometer o que não pode ser cumprido, embora infelizmente muitos líderes façam isso como modo de “engajar” os funcionários, que aos poucos vão vendo que estão sendo ludibriados.


Um plano de carreira sincero permite que um funcionário que entrou na operação vá crescendo aos poucos, na velocidade dele. Então, caso ele queira e entregue o suficiente, poderá ser tutor, supervisor, coordenador, gerente e daí em diante.


A qualidade de vida


É difícil não conseguir a empatia, o envolvimento e o compromisso de alguém que está satisfeito, especialmente quando falamos de um funcionário.


Por isso mesmo, uma política de benefícios de uma empresa que faz projeto de iluminação comercial pode tornar o RH muito mais eficiente em mobilizar a vontade dos funcionários, implementando ações como:

  • Bonificações gerais;

  • Sorteio de vale-compras;

  • Flexibilização de horários;

  • Dias de folga;

  • Retiros de fim de semana.

Enfim, toda atividade que puder agradar o funcionário é bem-vinda. Quando unida a atividades que possam incluir os demais membros da empresa, como retiros voltados para empresas, fica ainda melhor.


O segredo da comunicação


Por fim, não é possível falar em estratégia infalível do setor de Recursos Humanos sem mencionar o papel central da comunicação, como ferramenta de trabalho.

É preciso acreditar no poder da comunicação como recurso que cria pontes entre as partes, mesmo (e sobretudo) quando há diferenças e discordâncias.


Se o negócio trabalha com abertura de empresa em São Paulo, e tem uma rotina corrida, é preciso saber parar toda semana para fazer reuniões de metas e de feedbacks.


Além disso, uma regra de ouro é fazer também as pontuações individuais. De fato, o verdadeiro líder e representante do RH não trata uma equipe de modo genérico, mas conhece a força e a fraqueza de cada um, pessoalmente.


Conclusão


Enfim, a empresa que entende o valor de estratégias diferenciadas para o setor de Recursos Humanos está sempre à frente, seja do mercado ou da própria concorrência.

Além disso, ela consegue deixar clara sua filosofia de trabalho, atraindo os melhores talentos e mantendo-os engajados com os princípios da empresa.


Com os conceitos e conselhos que trouxemos acima, vai ficar ainda mais fácil você assimilar tudo isso e tirar dali os primeiros passos para fazer a diferença na sua própria empresa.


Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento

30 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo
bottom of page